Busca:

Arquivos mensais: junho, 2010

Crescimento de 7,13% e inflação a 5,5% são aguardados para 2010


O mercado financeiro segue otimista com relação à economia brasileira neste ano. Segundo relatório Focus, divulgado ontem pelo Banco Central (BC), os analistas entrevistados esperam que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 7,13% em 2010, alta comparada à previsão observada no documento anterior, 7,06%. Para 2011, a projeção se mantém a 5% de expansão há 17 semanas. inflacion (1)

Por outro lado, houve uma queda na perspectiva para a inflação, passando de 5,61% para 5,5%, um ponto percentual acima da meta prevista para 2010 (4,5%). Para o próximo ano, os consultados aguardam alta de 4,80% do principal índice que me de a inflação, o IPCA (mesmo patamar há 11 semanas).

Mais

A Indústria aumenta investimento


Com o aquecimento do mercado, a indústria de material de construção prevê crescer 15% em 2010 e dobrar o faturamento até 2016, para R$ 188 bilhões. Em 2009, as empresas movimentaram R$ 96,8 bilhões. inflacion

A expectativa é que os projetos na área de infra-estrutura do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e de habitação popular Minha Casa, Minha Vida garantam um crescimento sustentado para o setor por pelo menos seis anos. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Materiais de Construção (Abramat), Melvyn Fox, as empresas estão acelerando investimentos para dar conta da demanda. Mais

Como a inflação pode nos afetar


Quem viveu o período da ‘loucura econômica’ do Brasil na década de oitenta talvez hoje não sinta a inflação tão presente no dia-a-dia.dinheiro

A questão é que ela está presente onde existe demanda de compra não atendida ou então, como vivenciamos hoje, na variação da moeda que acaba gerando aumento nos custos de produção e transporte de mercadorias de consumo.

A inflação tem dois lados, e ambos afetam diretamente nossa vida. Quando apresenta índices baixos e controlados, a inflação estimula o crescimento da economia de forma gradual. Isso porque os preços sobem com boa margem de até 4%, valor quase não sentido no bolso, mas que representa uma boa expectativa de investimento para a indústria e o comércio. Mais

Inflação diminui, a queda dos alimentos é a responsável


Após alguns meses com uma tendência de alta da inflação o IPCA-15 (índice de preços ao consumidor amplo-15) divulgado pelo IBGE nesta semana mostra que houve um recuo da tendência inflacionária em relação aos meses anteriores. O índice indicou 0,19% no período apurado e houve expectativa de que ficasse em até 0,22%.images (1)

Esta queda, segundo o Ministro da Fazenda, Guido Mantega em conversa com jornalistas, deve-se a diminuição do preços dos alimentos que vem fazendo a inflação recuar. Preços estes que em função das chuvas no início do ano subiram empurrando a inflação para cima. Superado este momento, o que ocorre agora é uma tendência de queda.

Sobre o crescimento da economia, o Ministro acredita que haverá um crescimento sustentável com percentual em torno de 6% a 6,5%. O que não caracteriza um superaquecimento que poderia gerar uma bolha de crescimento eventual que poderia empurrar fazer a inflação aumentar.

Salário Mínimo de R$ 546 para 2011


Proposta garante aumento real de 2,4%. Somados à média dos PIBs de 2008 e 2009 e à inflação, ganhos são de 7%.174_2034-dinheiro

Proposta do relator do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem, senador Tião Viana (PT-AC), garante aumento real de 2,4% para o salário mínimo em 2011. O senador apresentou ontem aos líderes partidários da Comissão Mista do Orçamento o parecer que muda a regra de reajuste.

Pelo projeto inicial do Executivo, o aumento levaria em conta apenas a inflação (INPC) — o que daria uma correção, sem aumento real, de cerca de 5,08%. Com a nova proposta, o reajuste nominal seria de aproximadamente 7%. Dessa forma, o piso subiria dos atuais R$ 510 para R$ 546 em janeiro de 2011.

A Flexibilizaçao do Iuane e como isso afeta o Brasil


É preciso considerar que a flexibilização, embora positiva para a economia mundial, também tem riscos importantes.inflacao (1)

A flexibilização do iuane, anunciada pelo governo chinês em plena Copa da Fifa que está sendo realizada na Áfica do Sul, é uma providência importante, mas, deve-se lembrar, também envolve riscos.

A medida vai na direção de corrigir um desequilíbrio muito anterior à crise que abalou o mundo em 2008 e que, se resolvido satisfatoriamente, trará benefícios a uma recuperação saudável da economia mundial.

O preço da moeda chinesa, hoje claramente subvalorizada, não reflete a trajetória de ganhos de competitividade internacional daquele país nas últimas décadas.

As fontes da inflação


Com uma encenação de dois dias de duração, o Comitê de Política Monetária (nome pomposo) do Banco Central decidiu, soberano, alterar a taxa de juro da Selic, prevendo-se que poderá elevá-la mais ainda, até o final do ano, para 12,75% a.a., tudo sob o argumento de que o “atual cenário de atividade econômica brasileiro está superaquecido”.  images (2)

Antes fosse verdade que a Economia brasileira se encontra altamente aquecida; que não houvesse tanta gente desempregada tentando ganhar a vida como camelô em cada esquina das ruas das cidades deste país; que não existisse tanta pobreza e tanta gente pedindo esmolas. E que a inflação fosse bem maior do que a anunciada pelos que nos querem “salvar do mal inflacionário” aplicando juros de agiota que assolam nosso país desde 1964.