Busca:

Alta de 5,91% e o maior nível em 6 anos


Segundo o IBGE, 40% do total do IPCA foi originado da inflação dos alimentos. Medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação fechou 2010 com uma taxa acumulada de 5,91%, a mais forte elevação para este indicador desde 2004, quando o índice subiu 7,6%.

O indicador ficou acima do centro da meta estipulada pelo Banco Central, de 4,5%. Em 2009, o IPCA subiu 4,31%. As informações foram divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado anual veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que iam de 5,84% a 5,93%, e acima da mediana, de 5,88%. O IPCA é o índice oficial utilizado pelo BC para cumprir o regime de metas de inflação, determinado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

No resultado mensal, o indicador subiu 0,63% em dezembro de 2010, após avançar 0,83% em novembro. A taxa do mês passado ficou perto do teto do intervalo das estimativas dos analistas consultados (0,56% a 0,65%), e acima da mediana, de 0,59%.

A perda de força na inflação do grupo alimentação e bebidas, que passou de 2,22% para 1,32% entre novembro e dezembro do ano passado, foi a principal causa para a desaceleração do IPCA no mesmo período. Segundo o instituto, produtos que haviam impactado novembro com altas expressivas tiveram resultados mais moderados no mês seguinte. No resultado anual, contudo, os alimentos foram os vilões da inflação.

No caso das carnes, a alta no preço deste tipo de produto passou de 10,67% em novembro para 2,25% em dezembro. O item refeição em restaurante foi a principal contribuição ao IPCA do mês passado. Os preços das refeições fora de casa subiram 1,98% em dezembro ante alta de 1,40% em novembro e contribuíram com 0,09 ponto porcentual na formação do IPCA do último mês de 2010.

No entanto, mesmo em menor ritmo de crescimento, o grupo alimentação e bebidas teve 0,31 ponto porcentual de contribuição, o que correspondeu a 49% do IPCA de dezembro.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) desacelerou a alta para 0,60% em dezembro do ano passado, após avançar 1,03% em novembro, segundo também informou o IBGE. Ainda segundo o instituto, o INPC fechou o ano de 2010 com taxa de 6,47%, após subir 4,11% em 2009. O INPC é calculado pelo IBGE desde 1979 e abrange famílias com renda entre um e seis salários mínimos.

Post Relacionados

3 Comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. Olha a “contribuição” para o aumento da inflação, veja abaixo:

    SACOLAS PLÁSTICAS INFLACIONADAS

    Olha que interessante de se ler (isso aqui no estado de São Paulo) A alguns meses atrás foi abolida as sacolinhas plásticas dadas gratuitamente nos supermercados. Mas que passaram a ser vendidas pelos mesmos a uma média de preço de R$ 0,19. . Porém, essa cobrança ocasionou a revolta de muitos. Tanto que a distribuição gratuita dos supermercados voltou a ser feita pelo periodo de mais três meses.

    Passado esse prazo , os supermercados voltaram a vender essas sacolas novamente. Aboliram aquelas sacolas “fraquinhas”, e passaram apenas a oferecer aquelas bem mais caras. Tanto que hoje (08/04/2012) não se acha mais sacolinhas na média de preço de R$ 0,19, mas a média subiu para R$ 0,59.Como elas inflacionaram né??!!

    Jupira Lucas Zucchetti
    (Contabilista em Campinas)

    Comentário por JUPIRA LUCAS ZUCCHETTI — 8 de abril de 2012 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>