Busca:

Demanda efetiva, emprego e renda em Keynes


O princípio da demanda efetiva é formulado por Keynes no âmbito das decisões de produzir, a curto prazo, para o qual são dadas as expectativas de longo prazo e de curto prazo e o nível de investimento programado pelas empresas, assim como a técnica, os salários nominais e os custos unitários de produção.inflacao

Keynes define a demanda efetiva como o nível de renda e o respectivo nível de emprego associado à intercessão entre as funções de demanda agregada e de oferta agregada.

  • Keynes associava o conceito de renda às suas conseqüências para o comportamento das famílias e empresas. (Setores chaves). Formulando-o em termos monetários para se ajustar às realidades de uma economia de mercado para o lucro.
  • A busca de renda pelos indivíduos se dá em decorrência da motivação do comportamento econômico.
  • Na Teoria Geral a renda é definida em termos de valor.

Renda bruta: renda relacionada à produção.

Para definir a renda deve-se utilizar dois processos, sendo o primeiro relacionado à produção e o segundo ao consumo.

1. Custo do uso: montante pago a outros empresários pelo que lhes compra, juntamente com o sacrifício que faz utilizando o seu equipamento ao invés de deixá-lo ocioso.

2.Custo dos Fatores: montante pago pelo empresários aos fatores de produção por serviços habituais.

Renda bruta —> Y = F + Lucro = A – U

Observações:

1. Como os custos fixos devem ser pagos o lucro usado na microeconomia não se subtrai deste antes de calcular o lucro a ser distribuído

2. Mudanças de preços das matérias-primas entram na renda por intermédio do custo do uso.

3. devido à incorporação do custo do uso a renda não é auto-suficiente dentro de um único período, não sendo possível a mensuração objetiva.

Renda disponível: é a renda disponível para o consumo ou renda líquida → o capital se deprecia não só como conseqüência da opção deliberada de usá-lo, mas também involuntariamente.

V –> custo suplementar –> perdas inesperadas resultantes da passagem do tempo–> depreciação.

  • LUCRO LÍQUIDO = A – (F – U) – V
  • Renda disponível para o consumo (renda líquida)

Y’ = A – U – V, onde:

Y’ –> renda disponível para o consumo –> montante que poderia ser consumido, deixando intacto o valor do capital.

Componentes da renda na Teoria Geral –> são distinguidos pelo comprador.

C = A – A1, onde:

C = consumo valor da produção vendida às famílias.

A = total das vendas

A1 = vendas entre empresas

Post Relacionados

Sem comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>