INCLUDES_HEADER
Busca:
BANNER_TOP_960

Inflação Brasil – Agosto 2011


A inflação oficial acumulada em 12 meses até agosto, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi de 7,23%; a maior em oito anos. De janeiro a agosto, o índice de preços teve avanço de 4,42%; em julho registrou-se uma alta de 0,16% enquanto em agosto, o indicador teve a alta de 0,37%.

Em 2003, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), havia registrado uma das maiores variações no mesmo intervalo, que foi de 15,07% pelo critério anualizado.

A situação coloca pressão no Banco Central quem definiu como meta de inflação oficial para 2011, o 4,5% com margens de dois pontos percentuais pra baixo ou cima. Entretanto Monetária (Copom), reduziu em 0,5 ponto percentual a taxa de juros Selic, de 12,5% para 12% ao ano.

O IPCA, calculado pelo IBGE, refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange nove regiões metropolitanas do País.

Impacto da inflação (Cálculo do índice do mês compara as variações de preços entre 28 de julho a 26 de agosto com os preços vigentes entre 29 de junho a 27 de julho):

  • Alimentos: em agosto atingiu 0,72% de variação causando impacto de 0,17 ponto percentual, o que representa 45% do índice referente ao mês passado. O produto que exerceu o maior impacto foi a carne (de -1,12% para 1,84%).
  • Artigos de residência: eletrodomésticos em geral de 0,03% para 0,57%, com destaque para refrigerador (de -0,29% para 3,29%) e máquina de lavar (de -1,58% para 3,18%).
  • Vestuário: artigos em geral de 0,10% para 0,67%, com destaque para roupas femininas (de -0,26% para 1,18%) e masculinas (de 0,19% para 0,75%).
  • Gastos habitação: em geral (de 0,27% de julho para 0,32% agosto), com destaque para aluguel residencial (de 0,46% para 1,06%) e com a taxa de água e esgoto (de 0,33% para 1,05%).
  • Salários dos empregados domésticos, de 1,26% para 0,72%.
  • Despesas com transportes: de 0,46%, em julho, para -0,11% devido à redução da gasolina, etanol, das tarifas aéreas, das tarifas dos ônibus interestaduais, dos preços do automóvel novo e usado, do seguro de veículos.

Imagem e dados do índice IPCA do IBGE

A maior variação foi registrada na região metropolitana do Rio de Janeiro com alta de 0,47% por causa do reajuste de 8,80 % ocorrido em agosto no valor das tarifas da taxa de água e esgoto e pelos alimentos; e a menor variação de preços no mês passado foi verificada em Porto Alegre, com 0,14%.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) também calculado pelo IBGE, e que refere às famílias com rendimento de 1 a 6 salários mínimos e abrange nove regiões metropolitanas do País, variou 0,42% em agosto; o acumulado do ano está em 4,14% acima da taxa de 3,24% relativa a igual período de 2010. Nos últimos 12 meses, o índice acumula alta de 7,40%, acima dos 12 meses imediatamente anteriores (6,87%).

A região metropolitana do Rio de Janeiro registrou a maior variação (0,66%) por causa do reajuste de 8,80 % ocorrido em agosto no valor das tarifas da taxa de água e esgoto e pelos alimentos; enquanto Curitiba apresentou a menor taxa (0,02%).

Imagem e dados do índice INPC do IBGE

CODIGO_ADSENSE_200x90

Post Relacionados

1 Comentário

RSS de comentários. TrackBack URI

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

ANALYTICS_CODE